segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Poema para Emily

Quando te conheci
Não foi te conhecer
Foi te reencontrar...

Eras o meu sonho:
A menina
Abraçada em um livro de poemas
Seu olhar tímido
E, ao mesmo tempo, intenso.

Um momento mágico
Daqueles que se espera
No mínimo 35 anos para acontecer:
A menina
E seu livro de poemas!

Há tu, que me encontraste
Através de poemas sonâmbulos
Cheios de solitude!
Quem diria, que irias me dar o impossível
Um sorriso!

Fomos ver o mar
Mas havia algo maior que o mar
Surgindo entre nós
Tu perdoaste meus clichês nervosos
Eu te dei Cecília e uma dedicatória!

Eras o meu sonho realizado:
Uma menina
Com poesia no olhar, na pele, nos lábios
Eu já não sabia brigar com a vida...

Conversamos, conversamos
Até o entardecer
O barulho motorizado da cidade
Uma TV abjeta
Não nos incomodou
Nos fez rir
E entre sorrisos e beijos.

Por fim nos abraçamos em silêncio
E entre teus braços e o silêncio
Me descobri em ti
Percebi que minha vida
Havia mudado naquele instante...

2 comentários:

Na Ponta da Língua disse...

"Eu já não sabia brigar com a vida..."

Em algum lugar deste imenso planeta, Emily deve estar ancorada sobre a lua ouvindo teus lindos versos! Que sorte a dela...

Beijos, dear!

Leonardo disse...

Sorte a minha (digo, do eu-lírico) de tê-la conhecido! Ela que é a poesia! Sabe que Emily também escreve?! Uns poemas tão lindos... Nunca conheci mulher tão sensível!

Muito obrigado por prestigiar meus textos, dear! Beijos!